quarta-feira, 7 de maio de 2008

AMOR É....


Tente não chorar enquanto vê o filme, porque é mesmo comovente, eu não consegui. Click no Amor é..


Oitenta e cinco vezes Dick Hoyt empurrou o seu filho deficiente Rick por 42 kms numa cadeira de rodas em maratonas, assim como também rebocou por 4 kms num barco enquanto nadava e pedalou 180kms com o filho sentado num banco, tudo isto no mesmo dia. Dick também escalou montanhas com o filho ás costas, e fez corridas de esqui.


Esta história começou há 43 anos em Winchester, quando Rick foi estrangulado pelo cordão umbilical durante o parto ficando com um lesão cerebral e incapacitado de controlar os membros do corpo. Os médicos disseram a estes pais que Rick seria um vegetal e não conseguiria comunicar, sem acreditar neste prognóstico e percebendo que o filho poderia comunicar, alguém disse uma piada e Rick riu, foi realmente um sinal que ele os compreendia.


Foi facultado um computador adaptado, conseguindo escrever tocando num botão agregado ao encosto da cadeira. Tudo esperava que ele escrevesse Olá pai", " Olá mãe", para admiração de todos Rick escreveu: "Go Bruins" uma equipe local.


Quando foi organizada uma corrida em honra de um rapaz que tinha ficado paralizado num acidente, Rick disse ao pai que queria participar. E assim foi, Dick correu 8 kms com filho numa cadeira de rodas e no dia a seguir Dick nao sentia as pernas, de tão dorido que estava, e o filho disse-lhe que enquanto corria com o pai, parecia que não tinha qualquer deficiência. Foi aqui que a obcessão de Dick começou, queria proporcionar ao filho a mesma sensação o maior número de vezes.


Pai e filho eram só um corredor, não se enquadrando na categoria de cadeira de rodas, continuaram a competir na mesma. Em 1983 conseguiram se qualificar para a maratona de Boston. Mais tarde começou a participar em triatlos.


Já participaram em 212 triatlos, 4 ironmans de 15horas no Havai. Aos 65 e 43 anos de idade respectivamente Dick e Rick fizeram a sua 24ª maratona de Boston na posição 5.083 entre mais de 20 mil participantes, em 2:40m.


Hoje em dia Rick vive no seu próprio apartmento (com cuidados médicos) e trabalha em Boston, Dick que se reformou do exercito e mora em Holland, Massachussets.

5 comentários:

E-CORREDOR disse...

Fátima, excelente seu post!

Muito emocionante. As pessoas fazem cada coisa surpreendente, né?

Que lição de vida!

Às vezes reclamamos por tão pouco...

Boas corridas!

Paulo Massa.

luis mota disse...

Olá Fátima!
Fantástico. Adorei a mensagem.
Cada vez mais penso:
"Fomos começados e não fomos terminados".
Não sabemos o que nos espera. Tenho conhecimento de uma situação idêntica aqui em Tomar. E foi a dedicação do Pai, que abdicou de tudo pelo filho, que também o conseguiu recuperar.
Parabéns a todos os Pais que tudo fazem para conseguir a felicidade dos Filhos.

Fernando Andrade. disse...

Impossível não sermos afectados por estas imagens, que têm uma força avassaladora.
"CAN" !
Se quer ... é porque pode, principalmente porque tem um PAI daqueles que parece ficção.
Curvo-me perante este Homem, que se superou a si próprio e conseguiu realizar o sonho do filho.

FA

Anónimo disse...

Fátima

Não consegui ver o filme aqui no blog, mas já conhecia. Há algum tempo atrás, alguém me enviou o filme para o e-mail.
É impossível alguém não se emocionar.
Uma extraordinária lição de vida. E de amor.

Paula Pinto

CORREDOR " X " disse...

Eu aprecio fazer de vez em quando umas ladeiras ! Esse vídeo já ví e gostei..........mas não chorei !